O segredo das unhas clarinhas

Quem nunca foi pintar as unhas com um esmalte claro e precisou passar várias camadas para a cor ficar parelha? Ou pintou de branco e poucos dias depois amarelou? Ou escolheu um tom mais transparente e aparecia mais a própria unha que o esmalte? Para quem costuma esmaltar a própria unha muitas vezes esse problemas são bem rotineiros e nos fazem desistir desses tons. Contudo, hoje darei umas dicas infalíveis para facilitar a vida de todas!

58f5477ac7b26a8109acb5e7cf48b616

Continuar lendo

Esmaltes, um vício!

Como havia prometido quando falei sobre os produtos para tratar as mãos e as unhas (confere aqui), hoje o assunto é um dos meus queridinhos: esmaltes! Separei as 10 cores que mais amo de todos os tempos para compartilhar. Vocês perceberão que eu não uma pessoa que varia muuuito nos tons e nem sou muito de cores diferentes e mais extravagantes. Entendam, não que eu não as use, mas é difícil, sou mais tradicionalzinha com meus esmaltes.

Vocês notarão, também, que as marcas são bem conhecidas e com valores acessíveis, pois esses são os que uso mais e não dá para ficar usando Chanel e cia no dia-a-dia, desculpa, mas haja bolso. Até porque, tem cores que nem compensam o custo benefício de algumas marcas gringas, porque secam muito rápido; e olha que tenho maior frescura com os meus.

Vou dividir em quatro blocos: os escurões, os vermelhos, os rosas e os claros.

Escurões: a minha grande paixão!

  • Knockout – Revlon: gente, se eu pudesse só usava esse esmalte. Desde que comecei a pintar as unhas, desde a primeira unha postiça, o preta reina sobre a minha vida! Como eu sou muito branquinha tem coisa mais linda? Uso nas mãos, nos pés, semanas seguidas. Quando não acho esse da Revlon, que a qualidade e textura acho melhor que das outras marcas, substituo pelo Preto Sépia, da Colorama.

Knockout montagem

Carnaby Street – Le Lis Blanc Beauté: eu não sei se ele é roxo, vinho, sei que ele transita entre esses tons, com um fundo preto e uma leve sintilância dourada. Muito lindo! Amo usá-lo quando vou para festas e estou na dúvida entre vermelho e preto! O que me deixa meio triste? Ele não é fácil de achar e, se não me engano, foi de coleção. Ainda bem que o meu está cheio e ele rende muito bem! Desconfio que quando não achá-lo mais voltarei ao Uva, da Risqué, oh

LeLis Montagem

 Vermelhos: meu amor eterno!

  •  Red – Revlon: gente, tem coisa melhor que um vermelhão clássico, a la Marlin? Esse é o meu verdadeiro curinga! Se eu pudesse comprava uma caixa dele e distribuía para todas mulheres que amo! Ele é cremoso e dura muito na unha, sobrevive à louça! Vale cada centavinho e para ele não há substitutos!

red

  • Maça do Amor – Risqué: o nome já diz, é a cor do amor! Ele me fascina, por ser um vermelho mais fechado e ser cintilante, mas sem ser cafona! Porque, desculpa quem gosta, mas vermelho mais aberto e cintilante… Não acho que fique bem em quase ninguém! Já o Maçã fica bem em todos tons de pele e tem cara de rica. Eu acho a qualidade dele bem boa, mas não é muito fácil achar, tanto que quando consigo é quase uma festa.

maçã

  • Rubi – Risqué: um pouco mais claro que o Maçã, ele exerce quase a mesma fascinação e é o substituto direto. Além de ter cor da pedra do meu anel de formatura, acho que super combina! Hihihihi!

rubi

Rosas: o lado mulherzinha

  • Bubble Gum – Revlon: ale de ser rosa pink chiclete, ele tem cheirinho de Babalu Cereja! Quer coisa mais teenager? Quando quero algo feliz e mais verão é nele que eu me jogo. Nem sempre agüento ficar uma semana com ele, mas é o meu lado atrevido no quesito esmalte.

bubble montagem

  • Jura? – Colorama: uma das minhas últimas paixões e que tomou o lugar de um vermelho alaranjado que adorava, mas a mane não lembra o nome. Enfim! Na onda dos violetas, o comprei para testar e tentar fugir das cores de sempre e realmente me surpreendeu, fica muito mais bonito na unha que na embalagem, além de durar bem. Uma cor meio de moda, mas que entrou no meu coração.

jura montagem

Clarinhos: o lado boa moça

  • Bora-Boa – Le Lis Blanc Beauté: o mesmo problema do outro da Le Lis para achar, mas é um nude mais rosado, meio marrom, não sei direito, mas que fica lindo. Uso muito quando vou viajar e no pé.

le lis

  • Bali – Risqué: ai gosta e praia, né? Mas, brincadeiras a parte, é um nude lindo, meio clássico e que gosto de ter por perto, no aperreio, ele é fácil de aplicar e sair correndo. E, também, é um dos escolhidos para viagens e pés.

bali montagem

  • Renda – Risqué: pode ser mais clássico? Sim, eu casei com ele e um cintilante por cima, não vou mentir. Ele se descreve só, simples assim. Acabo usando muito mais ele sozinho, mas algumas vezes rola uma francesinha ou com o cintilante. Mais boa moça impossível!

renda montagem

Como deu para ver eu não vario muito, não sou das mais fãs de cores diferentes e cintilantes. Mais que cores clarinhas, amo as escuras nos pés. E, não, não curto nails arts, obviamente, mas, com parcimônia, acho que pode ser uma arte.

Eu costumo pintar as unhas em casa e deixar para a manicure as cutículas. Entretanto, tenho a sorte delas serem bem comportadas e não ser escrava semanal do salão! E, para durar mais uso as unhas frizadas, sem esmalte na pontinha, técnica muito utilizada lá em Natal e que não deixei de lado quando vim para SP.

Ah, quem me segue no Instagram (não segue ainda? @debarcelos_) pode acompanhar as escolhas de cada semana, pois sempre posto, oh!

Beijinhos e bom final de semana!

Logo geral